Upload Lisboa, case study, marketing digital e marcas valiosas

 

Upload Lisboa

Dia 4 de Outubro aconteceu um dos maiores e mais importantes eventos de Marketing Digital em Portugal, o Upload Lisboa, eventos fundado por Virgínia Coutinho e que vai já na sua 5ª edição, segundo prometeram, a melhor de sempre. Foi com muita pena que não pude estar presente nem ver o stream ao vivo que foi disponibilizado pelo Activo Bank.

Algumas ideias chave passam pelo facto “do email não ter morrido”, de ser preciso planeamento, ser importante estar preparado para fazer marketing em tempo real e, por isso, é importante saber que eventos estão e vão acontecer. Foram ainda deixadas sugestões de várias ferramentas úteis para o trabalho em marketing digital. Um apanhado do evento feito pelo site Community Manager.

AgitAgueda 2014

Case study

Fica ainda o case study Comunicação Digital do evento AgitAgueda 2014 e o nascimento do computador, do século XVII até hoje.

Marketing Digital

O que funciona no Instagram.

Social Media Examiner comemorou 5 anos de existência e deixou o seu habitual resumo da semana em Marketing Digital.

A última campanha do IKEA trouxe para o reino Unido o espelho motivacional. Porque um elogio faz sempre bem.

 

Marcas mais valiosas do mundo

A Apple e a Google lideram o ranking das 100 marcas mais valiosas do mundo.

 

Anúncios

Facebook completa hoje 10 anos

10º Aniversário do Facebook - APPM.pt

O Facebook nasceu em 2004 na Universidade de Harvard. Começou por ser uma rede apenas para comunicação entre alunos desta faculdade mas saltou para fora destes muros e tornou-se a rede social mais utilizada em quase todo o mundo.

Mark Zuckerberg não podia estar mais orgulhoso desta criação “It’s been an amazing journey so far, and I’m so grateful to be a part of it. It’s rare to be able to touch so many people’s lives, and I try to remind myself to make the most of every day and have the biggest impact I can.”

Uma prenda do Mark Zuckerberg que resume os anos em que estivemos na plataforma – http://www.facebook.com/lookback

10 maneira como o Facebook influenciou o mundo – Visão

A história do Facebook – Do coursematch à rede que todos conhecemos – Pplware

“O Barato sai caro” ou como se anda a brincar com dinheiro público

Durante meses a Marktest queixou-se de ter perdido o concurso de audimetria e por tê-lo perdido para o concorrente que ficou em último lugar nos critérios técnicos.

Depois de vários adiamentos e de um “arranque atribulado”, parece que se está a perceber que “o barato sai caro” e que há até dias em que não são entregues os resultados de audiências. Para quando uma reflexão profunda e a anulação deste contrato? Para quando a responsabilização de quem escolheu esta empresa?

Um mau sistema de audiometria é mau para todos, porque induz programadores e anunciantes em erro. Andar a programar e a anunciar para um mercado fictício é atirar dinheiro para o lixo. E não se pode dizer que a nossa economia, e ainda mais o muito debilitado mercado da comunicação social e da publicidade, se possam dar a esse luxo.” in Expresso

TV / Internet – Convergência e possíveis modelos de negócio

A indústria está perante um 2º “switchover” digital com a convergência da TV e da Internet conectadas através de tecnologias como Youview, GoogleTV e Apple TV. Esta é a convicção de Adam Crozier, CEO de um dos canais comerciais mais importantes do Reino Unido, a ITV.

De facto creio que, cada vez mais, o futuro será a integração das plataformas internet e TV em qualquer dispositivo que possamos utilizar. Até porque o consumidor/ utilizador quer ver conteúdos, independentemente de em que dispositivo o vê. O que parece ser a tendência é que irá vê-lo no melhor ecrã disponível. E a TV só tem a ganhar em chamar a si as potencialidades de interactividade e pesquisa da Internet.

No entanto, discordo de Adam Crozier quando ele apresenta como alternativa à publicidade um sistema de mircopagamentos. Claro que se oferecer um produto premium, para além do que é exibido no éter, o consumidor poderá vir a pagá-lo mas não creio que se possa esperar pagamentos quando o produto é o mesmo que foi exibido no canal pois, nesse caso há que ter em conta, como diz o briefing “a possibilidade que os consumidores terão através das boxes de gravar e guardar horas de conteúdos que poderão ver gratuitamente mais tarde“. Creio que o caminho passará por gerar valor acrescentado aos conteúdos que são exibidos no canal ou por reforçar o valor da publicidade uma vez que, estando o mesmo conteúdo disponível em mais plataformas, é suscetível de ser visto por mais pessoas (ou pelo menos de não ser visto por menos pessoas o que poderia acontecer devido à desagregação dos públicos e à fuga de alguns para outras plataformas).

De qualquer forma, creio que as palavras-chave são valor acrescentado uma vez que o consumidor/ utilizador só aceitará pagar por uma coisa que lhe acrescente algo pois, para ver TV ele só tem de comprar um televisor e ligá-lo (para além da taxa do audiovisual, etc), ou de pagar por um serviço de subscrição, ele não paga por cada vez que quer ver um conteúdo neste dispositivo e nem espera que lhe peçam isso.

Fonte: Jornal Briefing a partir do Omnicom Media Group

Torke e YoungNetwork juntam-se

Agência de marketing de guerrilha Torke cede 15% à agência de comunicação Youngnetwork, para ganhar dimensão mediática.

Fonte: Expresso

Na minha opinião juntaram-se duas grandes empresas, talvez as mais frescas e inovadoras do mercado. E isso só pode gerar grandes conteúdos! Esperamos para ver.

Jornal I

“The Guardian” classifica I como um dos jornais mais inovadores.

Destaques de Imprensa

Cidade cinematográfica da NBP pode ser decidida este mês
A produtora NBP vai decidir até ao final do mês a localização da sua cidade cinematográfica que deverá ter uma dimensão de 35 hectares.
Jornal de Notícias

Espanhóis e finlandeses na corrida à televisão
O grupo finlandês AirPlus TV e a “holding” espanhola Abertis estão em conversações com empresas portuguesas para concorrer à TDT
Jornal de Negócios

SIC e Valentim de Carvalho Filmes passam “A Vida Privada de Salazar” para série de TV
A exibir entre o final deste ano e 2010.
Público

A Media Capital vai passar a deter a totalidade do capital da Castello Lopes Multimédia (CLMC).

“Até agora, a companhia responsável pela TVI detinha 50% da CLMC, em parceria com a Castello Lopes, mas quer controlar a empresa de distribuição cinematográfica e a distribuição de videogramas (DVD/VHS), que actua tanto para o canal retalhista como para os estabelecimentos de aluguer de vídeo.Recentemente, a CLMC assinou um contrato com a Warner Home Video.
A partir de Setembro, a empresa vai licenciar e distribuir os novos lançamentos no mercado da Warner, no qual se incluem grandes títulos, como Harry Potter.”

Notícia do DN. (14.08.2007)

O negócio já foi autorizado.Parece-me uma medida inteligente desta empresa que, desta forma, passa a ter acesso priveligiado a vários filmes.
Espera-se que, depois de “Lauro António apresenta…” nos primeiros tempos da TVI, esta estação volte a apostar em grande no cinema.

Apritel quer separação efectiva da rede de cobre e cabo em 2007

«A Apritel quer que a separação horizontal da rede de cobre e de cabo, assim como a separação vertical da rede de cobre, seja feita ainda este ano. Luís Reis eleito hoje presidente da associação dos operadores de telecomunicações, considera que este é o cumprimento de uma promessa feita no âmbito da OPA da Sonaecom sobre a PT.»

A notícia completa no Diário Económico (09.05.2007)

Relacionada:
Lucros da PT terão descido 31% no primeiro trimestre

Impresa quer comprar posições na área digital

O presidente da Impresa quer «potencializar os conteúdos dos meios que já temos e, por outro, criar uma quarta roda (a par dos jornais, revistas e televisão) com a Impresa Digital». ()

Notícia completa no Jornal Briefing (09.05.2007)