Atenção: Para quem defende o fim da Publicidade na RTP1

“JÁ SÃO conhecidos os resultados do fim da publicidade na televisão pública francesa e os deputados que aprovaram a lei querem agora voltar atrás.”
Anúncios

Concentração dos Media / Serviço Público

Manuel Coelho da Silva recordou numa sessão do Mestrado de Audiovisual e Multimédia, na Escola Superior de Comunicação Social, algumas questões interessantes sobre a área:

  • Não se pode apenas pensar na concentração entre empresas de media. É importante recordar também o que se passa ao nível das empresas que compram publicidade e pensar também na pressão que pode exercer uma marca quando, surgindo notícias menos boas sobre ela, resolve retirar toda s sua publicidade de um determinado meio ou grupo… A liberdade de expressão e a livre concorrência é também afectada por estes acontecimentos que, raramente, temos em conta…
  • Recordou ainda que a parcela do orçamento para os media públicos não é apenas para a RTP1 e RTP2 mas também para a RTP Internacional, RTP África e todas as rádios do grupo. E relembra que a RTP Internacional é um traço de união entre os portugueses espalhados pelo mundo e que requer a compra de satélites bem como pagamentos de direitos para que possa existir.

Achei bastante interessante pois são alguns pormenores do meio dos quais, muitas vezes, nos esquecemos.

José Fragoso regressa à RTP

José Fragoso vai assegurar as funções que pertenciam ao ex-director Nuno Santos, agora na SIC. Além dos Programas, ficarei com a direcção dos canais internacionais”. Departamento que não lhe é estranho durante dois anos dirigiu aquelas emissões na RTP.

A notícia completa no Jornal de Notícias.

Balanço do Congresso das Comunicações 2007

A APDC, entidade organizadora do congresso, já tem disponível no seu site um balanço do evento, onde reúne as principais conclusões e pistas para o futuro:
– a aposta na formação deve continuar a integrar a lista de prioridades para que a competitividade do país possa ser incrementada;
– é necessário criar uma estratégia pan-europeia para a TV móvel;
– os players do mercado reconhecem que o sector das Telecomunicações está mais dinâmico e competitivo, sendo que o processo da OPA da Sonaecom, que acabou por conduzir ao processo de spin-off da PT Multimédia trouxe um novo impulso ao sector.
Descubra mais em:
http://congresso.apdc.pt/

fonte: Newsletter OberCom nº 28 – Dezembro 2007

“RTP – 50 anos de história” de 1957 a 2007.

A RTP disponibiliza no seu site o livro que acaba de lançar sobre a história dos seus 5o anos, da autoria de Vasco Hogan Teves.

“Esta é a versão integral do Livro que conta toda a história da RTP. São histórias que fazem parte da História da sua televisão. Factos do país e do mundo, personalidades, figuras e tantas horas de emissão ao longo de 50 anos de televisão em Portugal.”

O prólogo é de António Barreto, que faz uma espécie de memória do que foi o seu próprio contacto com o meio televisivo, na cidade de Vila Real dos finais dos anos 50.
Interessante este excerto:
“A chegada da televisão mudou os horários. Mudou a vida em família. Mudou sobretudo as conversas do dia seguinte. Nas escolas, no Liceu, nos empregos, nos cafés e nas ruas falava-se do que se tinha visto na véspera. A comunidade local enriqueceu-se com assuntos vindos de fora. Os concursos, as charlas, as notícias, as peças de teatro, as variedades e o desporto passaram a fazer parte do quotidiano. Não pensávamos nisso, mas era assim em todo o país. Os heróis contemporâneos, as modas, os modelos e os padrões começaram a ser nacionais. Fátima ganhou as suas credenciais nacionais e, mais tarde, internacionais. O Benfica, cujos grandes triunfos europeus surgem poucos anos depois de iniciada a televisão, consagrou-se, por essa via, como o principal clube nacional. Mais do que pela escola, a que muitos nunca tinham ido, é pela televisão que muitas pessoas se sentem efectivamente parte de uma comunidade nacional.”

Serviço Público de TV

Algumas notas sobre a conferência “Evolução do serviço público de televisão” no blogue Indústrias Culturais

Financiamento da TV pública pode vir de doações

Brasil
«Embora ainda estejam sendo alinhavados os primeiros pontos da futura TV pública brasileira, o governo trabalha com a hipótese de receber doações de pessoas físicas e jurídicas para a constituição de um fundo garantidor do novo projeto, que prevê a fusão da Radiobrás com as TVs educativas estaduais. (…)

Toda a notícia em Último Segundo (09.05.2007)

Nuno Santos vai passar a ser director de todos os canais

«Administração quer RTP e RDP com direcção de Informação única (

No DN e no JN (09.04.2007)

25 de Abril no Serviço Público

Porque é que os documentário são relegados para altas horas na 3ªfeira?
Quem sabe não seria melhor dá-los a horas mais acessíveis ao ritmo de um por dia, durante esta semana?

Programação RTP1

Terça-feira, 24 de Abril
22:00 PORTUGAL – UM RETRATO SOCIAL
23:10 SEMPRE ABRIL
01:00 SESSÃO DA MEIA NOITE A FUGA (de Luís Filipe Costa)
02:20 ANTES E DEPOIS DO ADEUS
03:10 A PRETO E BRANCO E A CORES
04:00 25 DE ABRIL, A CANTAR
04:50 GRANDE REPÓRTER : VIDAS DE ABRIL

Quarta-feira, 25 de Abril
14:15 SÓ VISTO! ESPECIAL 25 DE ABRIL Convidado: Dr. Mário Soares
15:15 SESSÃO DA TARDE CAPITÃES DE ABRIL
17:45 NÃO ME OBRIGUEM A VIR PARA A RUA GRITAR
19:00 O PREÇO CERTO
19:55 50 ANOS, 50 NOTÍCIAS

01:30 ANTES DE AMANHÃ (talves devesse estar em vez do Preço Certo)

Programa ‘made in’ Portugal para ensinar o mundo às crianças

«A RTP está a preparar um novo programa para ensinar as crianças a lidar com o mundo que as rodeia. Ilha das Cores vai ser um acontecimento no mundo dos mais novos e dos seus pais. Para além dos episódios diários que a RTP2 vai emitir na sua programação, já a partir de dia 7, haverá, também, episódios especiais, na RTP1, aos sábados e domingos. »

A notícia completa no Diário de Notícias (24.04.2007)

«No episódio de ontem, apresentado pela Direcção da RTP2, pôde ouvir-se “Às vezes mais vale um amigo calado do que um que só diga disparates”. “Ilha das Cores” fecha um hiato de 10 anos na produção nacional destinada aos que têm entre dois e cinco anos. “É uma espécie de neto da Rua Sésamo”, diz Teresa Paixão, autora do programa. Passaram 20 anos sobre a chegada da versão portuguesa deste formato norte-americano a Portugal e 10 sobre “Jardim da Celeste”.»

Toda a notícia no Jornal de Notícias (24.04.2007)