Novo painel de audiências

 

Será que é desta?

Painel da GfK aprovado pela CAEM

Anúncios

Superbowl, as interacções sociais e o peso do mobile

 

trendrr_tv_superbowl47_infographicÉ um evento nos EUA que reúne audiências estrondosas e onde grandes marcas continuam a apostar em publicidade nos seus intervalos. A diferença é que, hoje em dia, muitas destas marcas já validaram os seus spots no meio online e muitos até já se tornaram virais mas, para estas, continua a valer a aposta no meio TV.

Não se escolhe necessariamente um meio em detrimento de outro, o que se faz actualmente é estar em múltiplos ecrãs porque já se percebeu que, também os utilizadores, navegam entre eles. É uma realidade de múltiplos media ((Northdrup: s/d). Hoje assistimos ao consumo de vários media em simultâneo, com diferentes ecrãs abertos ao mesmo tempo, não sendo raro estar em frente a uma TV e, ao mesmo tempo, ter o computador ligado e ainda estar a escrever no telemóvel. É aliás esta nova realidade que levou à ascensão da chamada Social TV, uma TV que se está a ver, ao mesmo tempo que se  comenta em outras plataformas não estando já uma pessoa a ver um programa sozinha mas em conjunto com outras pessoas com as quais estabelece uma conversa. É uma nova forma de interagir com o programa que, muitas vezes, embora ainda de forma hesitante, já é utilizada por certos programas para, por exemplo, receber perguntas dos espectadores em directo.

Interessante notar na infografia de Trendrr, que o Mashable apresenta no seu texto “Super Bowl Social Media Activity 3 Times Higher Than 2012“, que não só a interacção nos Social Media cresceu bastante entre 2012 e 2013 como 88% dos acessos foram feitos via mobile, sendo que nestes, o Iphone continua dominante (60%).

A salientar ainda a campanha da Oreo que soube aproveitar da melhor maneira os 30 minutos de corte de energia no Superbowl. É aqui que está a genealidade, no conseguir uma campanha brilhante quando a audiência está à espera de algo que não acontece e se transforma esse vazio numa mensagem. Exactamente quando a audiência perde a imagem e se vira para as redes sociais para falar sobre o assunto, surge uma marca que nos diz que mesmo no escuro se pode  comer uma bolacha. Tão simples e tão eficaz..

(Update 06/02/2013) Não esquecer também o exemplo português da Torke ao criar o site “Lyoncifica o teu nome logo que foi conhecido o nome da primeira filha de Luciana Abreu.

Audiências GfK

 

GfK actualiza quase um terço do painel

Será que é desta que o mercado passa a acreditar nestas audiências?

Sobre a GfK, já tinha falado aqui.

“O Barato sai caro” ou como se anda a brincar com dinheiro público

Durante meses a Marktest queixou-se de ter perdido o concurso de audimetria e por tê-lo perdido para o concorrente que ficou em último lugar nos critérios técnicos.

Depois de vários adiamentos e de um “arranque atribulado”, parece que se está a perceber que “o barato sai caro” e que há até dias em que não são entregues os resultados de audiências. Para quando uma reflexão profunda e a anulação deste contrato? Para quando a responsabilização de quem escolheu esta empresa?

Um mau sistema de audiometria é mau para todos, porque induz programadores e anunciantes em erro. Andar a programar e a anunciar para um mercado fictício é atirar dinheiro para o lixo. E não se pode dizer que a nossa economia, e ainda mais o muito debilitado mercado da comunicação social e da publicidade, se possam dar a esse luxo.” in Expresso

GfK vence concurso para novo serviço de medição de audiências

“A GFk Portugal foi a empresa vencedora do concurso de audiências de televisões, ficando à frente da Marktest que audita actualmente as audiências em Portugal, indicou a Comissão de Análise de Estudos do Meio (CAEM) à agência Lusa.”

Fonte: Jornal Briefing, via Lusa